15°C 17°C
Bento Gonçalves, RS
Publicidade

Sindicância da BM não aponta racismo de PMs com motoboy em Porto Alegre

A investigação interna apurou a conduta dos quatro policiais envolvidos no caso, identificando duas transgressões disciplinares relacionadas à condução dos acusados.

23/02/2024 às 20h07
Por: Marcelo Dargelio
Compartilhe:
Sindicância da BM não aponta racismo de PMs com motoboy em Porto Alegre

A Secretaria da Segurança Pública do Rio Grande do Sul (SSP-RS) revelou os resultados das investigações sobre o controverso caso ocorrido no último sábado (17) no bairro Rio Branco, em Porto Alegre, envolvendo um motoboy negro e um idoso branco. Em uma coletiva de imprensa realizada na tarde desta sexta-feira (23), foi anunciado que a sindicância realizada pela Brigada Militar concluiu que os policiais militares que atenderam a ocorrência não cometeram excessos nem atos de racismo.

O incidente teve como protagonistas o motoboy Everton Henrique Goandete da Silva, de 40 anos, que foi agredido com um golpe de canivete por Sérgio Camargo Kupstaitis, de 71 anos. Segundo relatos, a agressão escalou quando Silva revidou a pedradas. Parte do confronto foi capturada por câmeras de segurança e divulgada durante a coletiva, ilustrando a tensão do momento. Embora a agressão inicial do idoso não tenha sido gravada, Kupstaitis admitiu o ato, conforme informado pela Brigada Militar.

A investigação interna apurou a conduta dos quatro policiais envolvidos no caso, identificando duas transgressões disciplinares. A primeira relaciona-se à falha dos policiais em acompanhar Kupstaitis até seu apartamento para que este pudesse se vestir e buscar seus documentos. A segunda refere-se à falta de percepção da chegada de uma segunda viatura da BM, destinada à condução dos envolvidos para a delegacia.

Apesar das falhas identificadas, a Brigada Militar afirmou que não foram encontrados indícios de crimes militares ou comuns por parte dos PMs. Com a conclusão da sindicância, os quatro policiais serão notificados e terão a oportunidade de apresentar suas defesas dentro de um prazo estipulado. Dependendo do resultado da análise dessas defesas, poderão enfrentar detenções disciplinares, cuja duração será determinada pela corregedoria da instituição.

Durante o processo investigativo, dois dos policiais foram temporariamente removidos das atividades de campo, atuando em setores administrativos, medida tomada pela BM como precaução e para minimizar o estresse gerado pela situação. Agora, com a investigação concluída, há possibilidade de retorno imediato às funções operacionais, a critério de seus comandantes.

Este caso atraiu atenção pública e debate sobre as práticas policiais, especialmente em contextos de conflitos raciais e sociais. A conclusão das investigações sem evidências de racismo ou excessos por parte dos policiais busca trazer um fechamento ao episódio, embora continue a suscitar discussões sobre a necessidade de contínua avaliação e treinamento das forças de segurança.

O comandante-geral da BM, coronel Cláudio dos Santos Feoli, falou sobre o fato em entrevistsa coletiva na tarde desta sexta-feira, 23.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Bento Gonçalves, RS
19°
Tempo nublado

Mín. 15° Máx. 17°

19° Sensação
2.68km/h Vento
95% Umidade
100% (27.37mm) Chance de chuva
06h42 Nascer do sol
06h10 Pôr do sol
Sáb 24° 17°
Dom 22° 17°
Seg 22° 18°
Ter 19° 16°
Qua 22° 11°
Atualizado às 16h02
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,12 +0,57%
Euro
R$ 5,45 -0,24%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,09%
Bitcoin
R$ 365,249,29 -4,23%
Ibovespa
125,946,09 pts -1.14%
Publicidade