17°C 25°C
Bento Gonçalves, RS
Publicidade

Ecolalia: conheça o distúrbio que afeta crianças com autismo

Embora seja comum em pacientes com Transtorno do Espectro Autista, a ecolalia não é exclusiva dessa condição

04/04/2023 às 09h57
Por: Jaqueline Bagnara Fonte: Divulgação (minhavida)
Compartilhe:
Divulgação
Divulgação

Durante o desenvolvimento da linguagem, é comum que algumas crianças reproduzam palavras, sílabas ou frases inteiras que ouviram recentemente ou que utilizem palavras aleatórias fora de contexto. Esse fenômeno, considerado essencial nesse período, é conhecido como ecolalia.

A ecolalia é um distúrbio de desenvolvimento da fala e da linguagem, caracterizado pela repetição em eco da fala. "A criança utiliza a ecolalia como forma de treino para se aproximar da fala do adulto no que se refere à articulação, à entonação e ao significado da palavra, ou seja, na busca por uma fala mais autônoma", explica a fonoaudióloga e psicopedagoga Andréa Cristina Cardoso.

A especialista, responsável pela área de Fonoaudiologia do Núcleo de Distúrbios de Aprendizagem do Hospital Sírio Libanês, explica a que interação social, associada à compreensão da linguagem verbal e à melhora quanto ao uso funcional da linguagem, favorece a diminuição da ecolalia até o seu desaparecimento.

Quais os tipos de ecolalia?

A ecolalia é um distúrbio que pode se manifestar de três formas diferentes, sendo elas:

Tardia: ocorre quando a criança repete palavras muito tempo depois de ouvi-la, de modo que ela é empregada fora de contexto. Isso pode ocorrer, por exemplo, quando a criança assiste um desenho e horas depois reproduz as palavras ou frases que ouviu

Imediata: ocorre quando elas repetem as palavras logo após de ouvi-las e, portanto, no contexto linguístico atual

Mitigada: ocorre em situações em que podem ser feitas modificações da frase ecoada, seja ela imediata ou tardia.

Por que isso acontece?

A ecolalia é um dos sintomas mais comuns em pacientes com Transtorno de Espectro do Autista (TEA), mas não é exclusivo deles. Cabe ressaltar que a ecolalia, na verdade, é parte normal no desenvolvimento infantil e pode se manifestar em qualquer criança.

Conforme alguns estudos apontam, a ecolalia imediata, em especial, sugere uma tentativa de comunicação, de forma que a repetição serviria para manter um diálogo com o outro.

Quando a ecolalia se torna um distúrbio?

Segundo a fonoaudióloga Andréa Cardoso, a ecolalia é considerada normal até, aproximadamente, 24 meses de idade quando ocorre de forma imediata.

Se após os 30 meses de idade a criança persistir no uso da fala ecolálica, especialmente de forma tardia, pode ser um sinal de alerta para quadros de Transtornos de Linguagem.

"[O comportamento] merece uma investigação especializada na área da Fonoaudiologia a fim de se estabelecer um diagnóstico diferencial e preciso, bem como a possibilidade de se realizar intervenção precoce", acrescenta a especialista.

Ecolalia e autismo: qual a relação?

O desenvolvimento atípico da linguagem é um dos aspectos mais observados em crianças com diagnóstico do TEA, um transtorno que, na maioria das vezes, não se manifesta de forma isolada.

Em 70% dos casos, crianças autistas apresentam outras condições associadas, como TDAH, ansiedade ou déficits de linguagem - e a ecolalia é um dos distúrbios mais comuns de pacientes que convivem com o TEA.

De acordo com Andréa Cardoso, a criança com TEA frequentemente utiliza a ecolalia como um dispositivo de comunicação. "[Ela] faz uso da repetição para confirmar um desejo como mecanismo de auto-regulação do comportamento (para se acalmar) ou ainda como meio de falar quando é incapaz de usar a fala autônoma", esclarece a fonoaudióloga.

Como é feito o diagnóstico da ecolalia?

O diagnóstico da ecolalia é feito através da análise de um especialista fonoaudiólogo que, levando em consideração a idade da criança, o tipo de ecolalia e outros fatores de saúde, como o autismo, pode indicar o tratamento adequado.

"Identificar qual é o uso e o tipo de ecolalia realizado pela criança precocemente permite ao fonoaudiólogo desenvolver intervenções específicas com o princípio de reduzir tal fenômeno e ampliar a função social da linguagem verbal, bem como orientar pais, educadores e demais profissionais envolvidos em cada caso", aponta Andréa Cardoso.

Como é feito o tratamento da ecolalia?

Existem inúmeros métodos que podem ser adotados para o tratamento da ecolalia, que deve contar com diversos profissionais, como fonoaudiólogos, pediatras, neuropediatras e psicólogos. O método elencado dependerá da severidade de cada caso. Segundo Andréa Cardoso, alguns deles incluem:

Análise do Comportamento Aplicada (ABA)

Modelo TEACCH

PECS.

Todavia, independente do método utilizado, o fonoaudiólogo investirá na interação social e ensinamento de novas palavras em contextos linguísticos, tais como:

Cumprimentos sociais

Pronomes pessoais

Interação olho-no-olho

Mudanças comportamentais.

Dessa forma, conforme explica Cardoso, o tratamento minimiza os prejuízos que a presença da ecolalia traz ao desenvolvimento e à efetividade comunicativa da criança com seus pares e familiares. Nesse processo, a presença da família é fundamental para avaliar a evolução da criança e manter os exercícios em casa.

"Vale lembrar que nem sempre é possível extinguir a ecolalia, mas sempre se pode diminuir a sua frequência e melhorar o desempenho funcional da linguagem", explica Andréa.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Bento Gonçalves, RS
25°
Tempo nublado

Mín. 17° Máx. 25°

25° Sensação
0.49km/h Vento
99% Umidade
100% (21.65mm) Chance de chuva
06h15 Nascer do sol
07h03 Pôr do sol
Ter 22° 18°
Qua 27° 17°
Qui 25° 18°
Sex 29° 16°
Sáb 29° 15°
Atualizado às 16h06
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 4,98 -0,27%
Euro
R$ 5,41 -0,01%
Peso Argentino
R$ 0,01 -1,28%
Bitcoin
R$ 288,437,27 +7,05%
Ibovespa
129,609,05 pts 0.15%
Publicidade