Sábado, 22 de Janeiro de 2022
29°

Pancada de chuva

Bento Gonçalves - RS

Saúde SUS

Coordenadoria de Saúde explica impasse envolvendo falta de medicação para psoríase severa

De acordo com o órgão regional, foi necessária uma análise de 19 mil casos no Estado, incluindo vários de Bento Gonçalves, para fazer a migração de pacientes a outro remédio que estava disponível em estoque

13/01/2022 às 11h31
Por: Redação
Compartilhe:
(Reprodução)
(Reprodução)

Entre o final de 2021 e o começo deste ano, muitos pacientes de Bento Gonçalves – e de todo o Rio Grande do Sul – que sofrem com as lesões de pele causadas pela psoríase severa aumentaram a pressão sobre o Governo do Estado para voltar a fornecer o medicamento Etanercepte 50mg, utilizado no tratamento da doença. Com a necessidade de injeções semanais, eles estavam desde outubro sem receber as doses, mesmo com determinação judicial para terem acesso ao remédio por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

O NB Notícias relatou o caso de uma destas pessoas, que viu a sua condição de saúde regredir e as feridas triplicarem neste meio tempo, sem o uso do fármaco. Depois da polêmica, a 5ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS) entrou em contato com a reportagem para esclarecer que, diferentemente do que foi inicialmente publicado, a medicação não estava em estoque apenas esperando uma mudança de código no sistema para ser distribuída: na verdade, a Saúde estadual dispõe de dois tipos diferentes de Etanercepte 50mg, um deles biossimilar, que foi justamente o que acabou em falta na rede pública.

Para suprir a carência, foram analisados os casos de 19 mil pacientes que dependiam desta variedade do medicamento, a fim de avaliar se eles poderiam migrar para a versão biológica de referência. "Desses, conseguimos passar 13 mil, seguindo os critérios estabelecidos nos protocolos do Ministério da Saúde. Não é todo paciente que se enquadra", afirma Cláudia Daniel, coordenadora da 5ª CRS. "Para os demais, a previsão é de que a normalização ocorra ainda neste mês", completa.

Ainda de acordo com Cláudia, para a seleção dos que poderiam fazer a mudança, foram considerados os pacientes com mais de 24 semanas de tratamento. Ao longo das próximas semanas, caso não haja garantia de entrega regular da medicação original, eles seguirão usando o biossimilar, para evitar uma nova alteração. "Eles vão retomar o tratamento habitual apenas quando houver a regulação do fornecimento", conclui a coordenadora.

A CRS não explicou exatamente quando iniciou a análise para a migração e se o processo foi agilizado somente após o aumento das reclamações e a divulgação do caso na imprensa, limitando-se a informar que "é uma questão que já vinha tentando ser resolvida".

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Bento Gonçalves - RS Atualizado às 09h13 - Fonte: ClimaTempo
29°
Pancada de chuva

Mín. 19° Máx. 35°

Dom 36°C 19°C
Seg 34°C 19°C
Ter 35°C 20°C
Qua 35°C 19°C
Qui 27°C 19°C
Anúncio
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Anúncio
Enquete
Anúncio