Quinta, 15 de Abril de 2021
54 98128.5277
16°

Muitas nuvens

Bento Gonçalves - RS

Dólar com.

R$ 5,63

Euro

R$ 6,74

Peso Arg.

R$ 0,06

Bairros Bairros

SOLIDARIEDADE: Morador de Bento necessita de prótese para voltar a trabalhar

O trabalhador autônomo Rodrigo Angeli sofreu um acidente grave de trabalho e perdeu a perna direita. Agora, ele busca R$ 42,9 mil necessários para comprar uma prótese e voltar a ter uma qualidade de vida. Saiba como ajudar:

25/02/2021 02h58 Atualizada há 1 mês
345
Por: Redação Fonte: NB Notícias
Kévin Sganzerla
Kévin Sganzerla

De uma hora para outra, um acidente de trabalho mudou a vida do morador do bairro Ouro Verde, em Bento Gonçalves, Rodrigo Angeli. Após cair de uma altura de seis metros, ele teve diversas fraturas nas pernas e na face. Após inúmeras cirurgias para tentar conter uma infecção em seu membro inferior direito, não houve mais alternativas senão amputá-lo, por conta do risco de vida. 

O trabalhador autônomo, que agora está sem nenhuma renda, necessita angariar fundos para a compra de uma prótese para voltar a trabalhar e, consequentemente, ter uma qualidade de vida. Para isso, ele conta com a colaboração da comunidade de Bento Gonçalves para chegar ao montante necessário para adquirir a prótese e voltar a ter uma vida normal. 

No dia 22 de julho, Rodrigo, natural de Joaçaba-SC, caiu de uma escada, de uma altura de seis metros, em uma sala comercial, na qual estava trabalhando como pintor. Ele relata que não lembra de absolutamente nada no dia, devido à queda. “Tive fratura no joelho, no fêmur e sete fraturas na face. Hoje estou com sete placas no rosto”, relata. 

Na perna, Rodrigo fez uma cirurgia para reconstruir o joelho. A intervenção cirúrgica, até um certo período, foi um sucesso, no entanto, uma infecção atingiu o membro inferior. Em um certo dia, Rodrigo acordou com uma poça de sangue na cama e, de forma urgente, foi novamente internado. “Desde aquele dia em diante foram sete cirurgias para curar a infecção. Na oitava cirurgia, no mês de outubro, eles tiveram que amputar a perna, pois eu corria risco de vida. Foram três meses no hospital”, relata. 

Sem nenhuma sequela neurológica e recuperado fisicamente de forma rápida, após voltar para casa muito debilitado durante o extenso período internado no hospital, Rodrigo anda de muleta e consegue fazer as tarefas e necessidades do dia-adia como cozinhar, ir ao banheiro, deitar e levantar sem o auxílio de ninguém. Ainda assim, ele enfrenta dificuldades, uma vez que está com os ligamentos do braço direito rompidos e o peso corporal está totalmente direcionado para a perna esquerda. 

Sem nenhuma renda por parte de Rodrigo, a família enfrenta dificuldades para a aquisição de uma prótese, a qual possibilitaria ao morador de Bento Gonçalves uma vida nova. “O que mais dificulta hoje é não poder ter acesso a uma prótese que me possibilite voltar a trabalhar. É uma necessidade, para que eu consiga voltar a ter uma renda. A qualidade de vida com a prótese é fundamental. Eu nunca baixei a cabeça. Fiquei 15 dias mal depois que sai do hospital, e eu falei pra mim mesmo: tenho duas escolhas, ou me viro para o lado aqui e esqueço da vida e me jogo na cama ou vou levantar a partir de hoje e vou fazer acontecer. Vou atrás do que preciso e vou fazer a minha vida, como era antes”, explica. 

Emocionado, Rodrigo relata a tristeza em observar pela janela a vizinhança e saber que não poderá sair de casa para trabalhar, como era anteriormente. “Hoje o que me deixa mais aborrecido não é nem ter sofrido a amputação. É eu acordar de manhã, sentar no meu lugar na mesa, olhar para fora e saber que mais um dia não vou conseguir trabalhar. Essa prótese vai me devolver isso. Relaciono a minha qualidade de vida ao meu serviço. É isso que essa prótese vai me proporcionar”, pondera. 

COMO AJUDAR?

O menor orçamento encontrado pela família para a prótese que vai possibilitar Rodrigo a voltar ao mercado de trabalho é de uma clínica de Passo Fundo. O montante total para a aquisição é de R$ 42.900. Até então, por meio da “Vakinha Online”, a família já conseguiu arrecadar pouco mais de R$ 6.685. Além disso, há também a venda de uma rifa, que é comercializada pelos familiares e amigos de Rodrigo. 

Acesse aqui a "Vakinha online"

Por conta das condições que temos, inclusive sem trabalhar todo esse tempo, e o valor exorbitante que é, estamos pedindo a ajuda para quem possa e que não lhe fará falta. Vamos ver se conseguimos essa prótese para que eu possa voltar a trabalhar”, torce Rodrigo. 

As pessoas que desejam ajudar também podem contribuir com qualquer valor, o qual pode ser depositado na conta que é disponibilizada pela família. Confira os dados abaixo:  

Agência: 3060

Conta poupança: 12412-2

Caixa econômica 

CPF 892 519 209 82

Nome: Rodrigo Angeli

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.